Como prevenir a queda de cabelo?

Como prevenir a queda de cabelo ?

A perda de cabelo é uma preocupação tanto para mulheres quanto para homens. A escova cheia de cabelo pode ser enlouquecedora, mas nem sempre precisa ser.
A vida útil de um cabelo varia de 3 a 7 anos. O cabelo está em constante renovação: o cabelo cresce, vive, depois morre e acaba caindo. Um fio de cabelo é considerado morto quando não cresce mais, ou seja, quando não produz mais queratina. Mas isso não quer dizer que caia de imediato: vai demorar mais 3 meses até que saia do couro cabeludo, empurrado pela chegada de um novo cabelo.

Qual é a velocidade de crescimento do cabelo?

O cabelo é o tecido com maior potencial de replicação no corpo humano. A taxa de crescimento do cabelo está na faixa de 0,5 cm a 2 cm por mês. Obviamente, essa velocidade depende de vários fatores (genética, sexo, idade, problema hormonal, etc.) Como regra, o crescimento ótimo do cabelo ocorre da adolescência até por volta dos 30 anos, depois diminui por volta dos 40 a 50 anos.

O ciclo de vida consiste em 3 fases; crescimento, manutenção e descanso. Ao final desta última fase ocorre a queda dos cabelos, totalmente fisiológica e necessária para uma boa renovação (turnover).

Nosso cabelo, no entanto, está perpetuamente exposto a estressores de todos os tipos, como variações hormonais, estilo de vida, comportamento incorreto, meio ambiente, dieta, bem como o estado psicofísico do sujeito. O cabelo pode, portanto, ser facilmente estressado, enfraquecido e sofrer uma perda precoce de natureza patológica (como a alopecia androgenética por exemplo).

O crescimento do cabelo ocorre em ciclos, eles próprios compostos de fases:

  • Anágena: uma longa fase de crescimento (2 a 6 anos)
  • Catágena: uma breve fase (3 semanas) da fase apoptótica transitória
  • Telógeno: uma curta fase de repouso (2 a 3 meses)

No final da fase de repouso, o cabelo cai (fase catágena). Normalmente cerca de 50-100 fios de cabelo chegam ao final da fase de repouso e caem a cada dia. Quando um novo cabelo começa a crescer no folículo, o ciclo começa novamente.

Os distúrbios do ciclo de crescimento incluem:

  • Eflúvio anágeno: uma interrupção da fase de crescimento causando perda anormal de cabelo anágeno
  • Eflúvio telógeno: significativamente mais de 100 fios de cabelo / dia entrando na fase de repouso

Quais são as causas da queda de cabelo?

O cabelo é um bom indicador de deficiências, especialmente deficiências minerais.

  • Falta de ferro:

O ferro é vital para a nutrição e oxigenação das células reprodutivas do cabelo. A falta de ferro instalado pode causar cabelos mais finos e quebradiços e queda de cabelo difusa e contínua.

  • Deficiência de vitamina D:

Além de seu papel no transporte de cálcio, a vitamina D está envolvida em muitos outros processos fisiológicos, em particular no crescimento do cabelo. Uma ligação foi claramente estabelecida entre a deficiência de vitamina D e a queda de cabelo.

  • Deficiência de zinco:

Este oligoelemento é um poderoso antioxidante que contribui para o crescimento do cabelo. A deficiência de zinco pode ser um fator que promove queda de cabelo e couro cabeludo seco.

  • Deficiência de magnésio:

Está comprovado que o magnésio luta contra os inconvenientes do suor, que altera o pH do couro cabeludo, causando irritação e a possibilidade de desenvolver caspa ou mesmo dermatite seborréica que pode levar a considerável queda de cabelo.

  • Deficiência de cálcio:

O corpo precisa combinar a vitamina D com o cálcio para integrá-lo adequadamente. Se você estiver carente de um desses nutrientes, o outro pode estar em níveis muito baixos também.

Quais são as causas da queda de cabelo?

O cabelo é um bom indicador de deficiências, especialmente deficiências minerais.

  • Falta de ferro:

O ferro é vital para a nutrição e oxigenação das células reprodutivas do cabelo. A falta de ferro instalado pode causar cabelos mais finos e quebradiços e queda de cabelo difusa e contínua.

  • Deficiência de vitamina D:

Além de seu papel no transporte de cálcio, a vitamina D está envolvida em muitos outros processos fisiológicos, em particular no crescimento do cabelo. Uma ligação foi claramente estabelecida entre a deficiência de vitamina D e a queda de cabelo.

  • Deficiência de zinco:

Este oligoelemento é um poderoso antioxidante que contribui para o crescimento do cabelo. A deficiência de zinco pode ser um fator que promove queda de cabelo e couro cabeludo seco.

  • Deficiência de magnésio:

Está comprovado que o magnésio luta contra os inconvenientes do suor, que altera o pH do couro cabeludo, causando irritação e a possibilidade de desenvolver caspa ou mesmo dermatite seborréica que pode levar a considerável queda de cabelo.

  • Deficiência de cálcio:

O corpo precisa combinar a vitamina D com o cálcio para integrá-lo adequadamente. Se você estiver carente de um desses nutrientes, o outro pode estar em níveis muito baixos também.

  • Deficiência de vitaminas do grupo B:

As vitaminas B são os seus melhores aliados para um cabelo flexível, brilhante e saudável. Mais resistente, o cabelo cai menos e cresce mais rápido. Em caso de deficiência, tornam-se secos, ásperos e quebradiços. A queda de cabelo é então acentuada e pode surgir caspa.

  • Tabaco, coloração, bem como exposição repetida ao sol:

O tabaco responsável por muitos problemas de saúde contém produtos tóxicos e cancerígenos. Tanto em homens quanto em mulheres, o tabaco pode ter consequências desastrosas para o cabelo. Estudos científicos demonstraram que fumar pode ser uma das causas da calvície. Para ter um cabelo mais saudável, parar de fumar é uma decisão difícil, mas importante de tomar.

A coloração regular pode, em alguns casos, causar calvície. Como o risco de danificar o couro cabeludo é significativo, isso pode causar perda de densidade e cabelos opacos e espetados.

Em doses muito pequenas, o sol é excelente para todos os tipos de cabelo. Via vitamina D, atua no ciclo de vida do cabelo e permite que a queratina se desenvolva de forma mais rápida e vigorosa. Mas em uma dose muito alta, as consequências podem ser prejudiciais. Na verdade, a exposição excessiva ao sol acelera a ação negativa dos radicais livres nos tecidos que circundam os folículos capilares. Como a ferrugem ataca o ferro, esses radicais livres atacam o colágeno perifolicular, fazendo com que ele perca sua flexibilidade e, portanto, arrisque prender as raízes do cabelo em um grilhão. Outro motivo, que pode vir além da compressão das raízes e da diminuição de sua atividade!

Se o seu cabelo já tende a ficar ralo ou cair facilmente, tome cuidado com o sol e saiba que a queda de cabelo no outono pode ser quintuplicada por um verão descuidado.

  • Uma dieta pobre:

Uma dieta desequilibrada ou distúrbios alimentares podem levar à ingestão insuficiente de nutrientes e, eventualmente, levar à queda de cabelo. Certifique-se de comer uma dieta saudável e equilibrada. Um cabelo forte e saudável necessita de nutrientes, essenciais para garantir o correto ciclo fisiológico de todos os tecidos, principalmente se a proliferação for elevada como o bulbo capilar. Um suprimento constante desses nutrientes deve, portanto, ser garantido pelo sangue.

  • A mudança de estação:

Como as árvores, nosso cabelo é sensível às mudanças ambientais: a transição para o outono é um período de mudança radical no clima e, portanto, na umidade, sol, temperatura externa … Essa mudança influencia o ritmo e a velocidade do ciclo de renovação do cabelo, que pode então cair em números maiores.

Observa-se assim uma queda que afeta todo o cabelo, mas tem pouco impacto no volume total do cabelo. Essa queda dura no máximo de um a dois meses. Além disso, é necessário consultar para determinar se não há outra causa para a queda de cabelo.

  • Penteados muito justos:

Alguns estilos de cabelo, como tranças muito apertadas, podem causar queda de cabelo em mulheres devido à tração muito prolongada nas raízes. Isso é chamado de alopecia por tração. Usar um coque ou rabo de cavalo todos os dias pode levar à queda de cabelo a longo prazo. É por isso que bailarinos acostumados a belos updos de dança costumam sofrer desse mal. Para remediar isso, certifique-se de variar seus estilos de cabelo, nunca os aperte demais e afrouxe-os regularmente.

  • Mudanças hormonais:

A perda de cabelo após o parto é normal. É devido, em particular, à agitação hormonal e à queda na concentração de estrogênio. Mas essa queda é apenas temporária e dura apenas alguns meses. A queda de cabelo também pode estar associada à pílula anticoncepcional, quando você a inicia, interrompe ou troca.

Algumas dicas naturopáticas para limitar a queda de cabelo:

  • Evite xampus, colorações, descolorações, alisamentos e permanentes muito agressivos que atacam o couro cabeludo e promovem a queda de cabelo
  • Faça uma dieta balanceada para evitar as deficiências nutricionais que causam a queda de cabelo. A dieta deve ser diversificada para evitar deficiências minerais, especialmente deficiência de ferro. Dê lugar de destaque às proteínas, que contêm os dois aminoácidos contendo enxofre (metionina e cisteína) necessários para a síntese da queratina. Coma também alimentos ricos em zinco, essenciais para a beleza dos tegumentos (unhas, cabelos, pele e cabelos)
  • Reduza ou pare de fumar: o tabaco retarda o crescimento do cabelo, reduzindo a absorção de muitos nutrientes essenciais para a síntese de queratina
  • Massageie regularmente seu couro cabeludo para estimular a microcirculação
  • Evite usar o secador de cabelo em uma temperatura muito alta
  • Pare o estresse! Relaxe, o estresse faz mal à saúde e pode desencadear ou agravar a queda de cabelo

Plantas medicinais e queda de cabelo:

Indicado na prevenção da queda de cabelo, o rabo de cavalo ajuda a fortalecer os anexos cutâneos e a promover o crescimento graças à sua riqueza em sílica. O que a torna uma planta remineralizante.

Este óleo essencial regula a produção de sebo e estimula a microcirculação do couro cabeludo no uso cutâneo. É indicado na queda de cabelo.

A urtiga é conhecida por suas propriedades avermelhadas. Ativa o metabolismo capilar e é utilizado no combate à queda capilar.

Rico em ômega 6-9 e vitaminas A e E, este óleo retarda a queda de cabelo cuidadosamente misturado com argila como máscara capilar.

Se a queda de cabelo durar mais de 6 meses, se alterar o volume do cabelo ou a implantação do cabelo ou se localizar principalmente acima do crânio, é aconselhável consultar um dermatologista. Essa queda patológica se deve a um desequilíbrio nas funções vitais dos cabelos, mas só o médico poderá encontrar as causas médicas (alopecia de tração, alisamento, alopecia androgenética) e, portanto, prescrever o tratamento correto.

Leave a Reply

Your email address will not be published.